top of page

O que oferecer este Natal

Atualizado: 6 de dez. de 2021



Tenho inúmeras memórias desta época festiva. A maioria delas gira em torno da fé (na escola), da família e tradições.


Mas muito poucas memórias dessa infância incluem os presentes que recebi. Lembro-me claramente do ano em que recebi... não me lembro, essa é a verdade. Senão tivesse as fotografias para me fazer recordar não faço ideia que presentes recebi em que ano.


As minhas memórias dos presentes são nenhumas, ou quase...

Lembro-me de uma Barbie que foi companhia de mergulhos, minha e da minha prima, num Natal Tropical, o primeiro da minha vida com praia e sol, e daí a memória. Ou então, quando recebi da empresa do meu pai, um piano de brincar, quando eu já era pré-adolescente, mas lembro-me pelo cómico da situação e não pelo presente!


O que nos pôs a pensar ... quais são os presentes que podemos dar aos nossos filhos que eles nunca esquecerão?


Que presentes realmente terão impacto nas suas vidas?


Para isso, aqui está uma lista em ordem alfabética, de ideias de presentes para dar este Nata, e todo o ano!

  1. Amor - Por vezes, uma simples palavra de apreço pode mudar o teu dia. Portanto, certifica-te de que o teu filho sabe o quanto o amas. E então, lembra-o sempre que puderes.

  2. Arte - O mundo precisa apenas de mais pessoas que queiram criar... a criatividade urge, tudo o resto as máquinas sabem fazer. Partilhem experiências artísticas: livros com belas ilustrações, belas histórias, exposições, teatro, concertos, bailados...

  3. Brincadeira - Não, não é apenas brincar com o teu filho, é dar-lhe espaço para apenas brincar (e não é necessário o brinquedo de última geração que tiveste de "vender um rim" para o comprar). Ter um ambiente cuidado e apelativo com objectos que o incitem a brincar e a criar, ou simplesmente imitar o dia a dia.

  4. Beijos e Abraços - Os teus filhos nunca são demasiados crescidos para receber beijos e abraços com fartura.

  5. Calor - Humano e físico, cuidar do corpo e do espírito. Banhos de espuma em conjunto, histórias debaixo dos lençóis, vestir roupa quentinha e fazer uma passeio com lanternas, à noite pelo bairro, munidos de um termos de cacau quente...

  6. Compaixão - As crianças podem ouvir as tuas palavras, mas o mais importante, é que elas aprendam observando as nossas acções. Ser sensível e cuidadoso com a angústia de outra pessoa de forma verdadeira é uma das qualidades mais essenciais de um ser humano. Se o teu filho sentir compaixão, ele mostrará compaixão. Escuta as suas "dores".

  7. Curiosidade - Ensina os teus filhos a fazer perguntas sobre quem, o quê, onde, como, quando, porquê e porque não. - “Pára de fazer tantas perguntas” são palavras que nunca devem sair da boca de um pai/mãe.

  8. Desafios - Incentiva o teu filho a sonhar grande, sem limites. Deixa-o ultrapassar desafios, larga o medo e confia nele, e vais ver como ele te surpreenderá. Vão lá para fora subam às árvores, saltem poças, façam longas caminhadas, ou apenas deixem-nos vestir-se sózinhos!

  9. Determinação - Um dos factores mais determinantes para o sucesso de uma pessoa é o tamanho da sua vontade. Como podes ajudar a desenvolver a vontade do teu filho? Dá-lhe tempo, não faças as coisas por ele, porque "é mais rápido", deixa-o ter actividades que têm princípio, meio e fim. Terminar o que acabamos é mais importante do que iniciar cinquenta projectos diferentes.

  10. Disciplina - Todas as crianças "se portam mal" às vezes, e todos os pais se perguntam como evitar o mau comportamento. Mas isso é apenas uma parte da nossa missão como pais. A maus fundamental é que o teu filho internalize as tuas orientações para se tornar "auto-disciplinado, isto é auto-regulado. A "disciplina" mais eficaz que o teu filho receberá será sempre uma orientação positiva, amorosa, gentil e consistente.

  11. Encorajamento - As crianças são cientistas naturalmente e aprendem fazendo. Elas experimentam apenas para ver o que acontece: - Causa e Efeito. Sabes que o copo pode entornar e/ou que o jarro está demasiado cheio, mas que criança que se preze não quer experimentar por si mesma o que vai acontecer? Tolera uma certa bagunça... mais tarde o teu Arquimedes irá agradecer-te.

  12. Fantasia - Criem juntos, músicas, brinquedos, receitas, máscaras e decorações. Não pensem se o produto final é digno do Instagram, o mais belo é ter espaço para criar o que vem de dentro.

  13. Generosidade - Façam biscoitos para dar aos vizinhos, escrevam cartões de Natal para enviar aqueles que estão sózinhos nesta quadra, façam uma recolha de roupas e brinquedos para dar a quem precisa.

  14. Honestidade - Faz da honestidade uma das regras da vossa família. Faz com que os teus filhos entendam que valorizamos a verdade, especialmente quando esta é difícil de dizer e possivelmente haverá uma consequência.

  15. Independência - Para sermos independentes primeiro temos de ser dependentes em segurança. Isso significa rotina, estamos a referir-nos a algum tipo de programação consistente durante as várias partes do dia. Principalmente as manhãs, depois da escola e na hora de dormir. Estes são os momentos em que ter algum tipo de rotina, embora flexível, proporciona à criança a segurança para ser independente, pois sabe o que seguirá.

  16. Justiça - Muitos de nós, sem dúvida, aceitámos sem perceber as crenças culturais dominantes de que os adultos têm o direito de controlar e coagir as crianças. Mas queremos então ensinar-lhes justiça sendo injustos? Escuta o teu filho.

  17. Liberdade - Forçar algo cria sempre "resistência" em todas as idades. Tu sabes quando entras numa luta de poder e quando estás a investir na vitória e não na resolução do conflito. Pára apenas, respira fundo e lembra-te de que vencer uma batalha com o teu filho implica estares preparada(o) para perder o que é mais importante: ele perceber onde começam os teus limites e terminam os dele! Oferece-lhe liberdade: - "Ok. tu consegues/podes fazer sozinho/ vamos tentar… " Se ele não puder, diz até onde ele pode decidir ou encontra outra maneira de atender à sua necessidade de autonomia sem comprometer a sua saúde ou segurança.

  18. Moralidade - "Moralidade é fazer o que é certo, não importa o que te digam. Obediência é fazer o que te dizem, não importa o que seja certo." - H.L. Mencken. Aqui mais do que as tuas palavras, importam os teus actos, e leiam-lhe contos de fadas, contos de fadas ...

  19. Natureza - "A natureza tem a força necessária para despertar um campo simbólico criador na criança”, disse Gandhy Piorski. Para a criança, a natureza é o meio onde ela pode estar mais livre e em sintonia com a sua essência. É o ramo que vira espada e a folha que se transformou num barquinho. Os materiais da natureza podem-se transformar nos mais diferentes brinquedos e objectos. É toda uma brincadeira mais activa: subir às árvores, correr em todo o tipo de superfícies, dar cambalhotas nas folhas ou relva, o teu filho não só gasta energia e usa o corpo, mas também tem a possibilidade de avaliar e correr riscos, cair e levantar-se, magoar-se e curar a ferida.

  20. Optimismo - Façam planos, partilhem desejos para o novo ano, criem projectos em família.

  21. Paciência - Mostra-lhe como podemos ultrapassar qualquer obstáculo ou desafio. Tu és o exemplo!

  22. Rituais - Criem os vossos rituais de família, se quiserem ideias vejam os outros post do blog sobre o natal e outras festividades.

  23. Refeições Juntos - Porque as famílias que comem juntas conversam mais, o que as mantém mais próximas e ajuda a construção de relacionamentos mais fortes; porque os pais que comem com os filhos expressam o seu amor de maneira construtiva, na forma de atenção e supervisão; porque as famílias que oferecem aos filhos mais estrutura têm maior probabilidade de mantê-los sem problemas... E talvez porque a refeição transforma os membros individuais da família num "grupo". E porque as crianças, como já dissemos, precisam de algo com que contar todos os dias, que aqui é representado pelo ritual de compartilhar alimentos com aqueles que amamos.

  24. Sinceridade - Estás a ser hipócrita, quando ele não tem permissão para quebrar promessas que te faz, mas tu quebras as tuas com ele. Como ultrapassar isto e seguir em frente? Pede desculpa sinceramente por quebrar uma promessa, assegura-lhe que te vais esforçar ao máximo para cumprir as tuas promessas e vão, juntos, fazer o que tinha sido prometido. Esqueceste-te de lavar o seu pijama preferido para a festa de pijama amanhã? Porque não ensiná-lo a lavar as próprias roupas para que não fique nesta posição no futuro e ele o possa fazer sózinho? Pensa apenas como gostarias de ser tratada(o) e trata-o de acordo.

  25. Tempo - Quando um pai dá a sua atenção, o filho sente-se realmente visto. Mesmo que eles não tenham sinalizado abertamente, por meio do choramingar, acessos de raiva ou outros comportamentos comuns de "chamar a atenção", que ele ou ela precisa do teu tempo e atenção. Uma rotina regular de Tempo Especial é uma óptima maneira de “encher o coração”. Desliga o telefone, vejam um filme juntos, joguem jogos de tabuleiro, leiam juntos...

  26. União - Embora possa ser difícil afastares-te do que estás a fazer e concentrares-te na pergunta do teu filho, a forma como lhe respondes é crucial na construção da união. Para o teu filho, é uma indicação de se pode contar contigo para falar quando ele precisa de ti. Este momento é muito mais importante do que qualquer conversa que tentes iniciar. Os filhos que acham que outras coisas são mais importantes para os pais do que eles, mais tarde acabam por procurar apoio noutro lugar, quando estão emocionalmente carentes.

  27. Vínculo - A criação de vínculo com o teu filho desde o dia que nasceu é baseada nas respostas às necessidades do teu bebé, na proximidade física e emocional dos pais. Uma vez que o bebé aprende que os cuidadores são seguros e protectores, ele constrói a sua segurança interna e prossegue para as próximas tarefas do seu desenvolvimento: exploração, domínio do ambiente e formação de relacionamentos com outras pessoas.

  28. Zzzz - Aconchega-te com o teu filho ao acordá-lo da manhã por alguns minutos e à noite; abraça-te a ele no sofá a ver um filme de Natal e durmam uma soneca juntos...


... e Bom Natal!




569 visualizações1 comentário

1 comentario


Simplesmente.. Adorei!! Adorei cada um pela simplicidade e importância que têm de maneira tão óbvia! De facto as coisas mais simples geram resultados tão complexamente bons 😅. Vou imprimir e colocar num sítio estratégico da casa para que nunca nos esqueçamos destes "básicos" que de básico nada têm. Obrigada!

Me gusta
bottom of page